Quick Tips: Leia Freakanomics

Leia Freakanomics:

Um dos destaques do Qonnections 2.018 foi a apresentação dos escritores Steven Levitt (economista) e Stephen Dubner (jornalista), autores de Freakanomics: O Lado Oculto e Inesperado de Tudo o Que Nos Afeta (publicado no Brasil pela Editora Campus pela primeira vez em 2.005).

Mas por que a Qlik deu tanto destaque e importância para os autores de uma obra que trata aparentemente de pura excentricidade?

Ora, o lema do Qonnections desse ano era “Disrupt Everything”; a mensagem que se queria passar é que por meio do uso de analytics e business intelligence devemos – de fato – “perturbar a ordem vigente”, de maneira construtiva, é claro.

A obra de Dubner e Levitt tem tudo a ver com analytics e b.i.; não é a toa que estavam por lá.

Seus estudos aparentemente curiosos instigam o leitor a revirar os dados disponíveis e encontrar conclusões inesperadas, que poderiam revolucionar a forma como políticas públicas são aplicadas e colocar em xeque dogmas arraigados em nossa cultura. Temas polêmicos como corrupção e aborto são discutidos sob uma nova ótica, com conclusões estarrecedoras.

O importante não é concordar ou não com os autores, mas sim entender e absorver sua paixão por análise de dados e os métodos originais utilizados para chegar a suas conclusões.

Nas empresas e negócios não é diferente: para qualquer projeto de business intelligence funcionar, é importante fazermos as perguntas certas. Tendemos sempre a nos preocupar em encontrar respostas, mas o sucesso de uma cultura analítica começa com as questões apropriadas. As primeiras perguntas podem nos levar a mais perguntas, até encontrarmos o ponto chave onde devemos atuar para que o futuro seja melhor.

O que ferramentas modernas como o Qlik Sense e o Qlik GeoAnalytics nos proporcionam é uma imensa facilidade e velocidade de revirar os dados que temos disponíveis e enxergar coisas que estão à frente do nossos nariz, mas não conseguimos enxergar pela vastidão e complexidade dos dados que temos disponíveis, que aumentam cada vez mais.

Por isso, recomendamos a leitura da obra e de seu segundo volume, “Superfreakanomics”.

Pensar de forma criativa e crítica é o primeiro passo na formação de uma cultura moderna e analítica na organização.

Think like a freak!

Posted in Blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *